Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Unimontes organiza colóquio sobre pobreza, em Portugal

A Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), em conjunto com as Universidades Nova de Lisboa (UNL) e de Fribourg (Suíça), é uma das organizadoras do Colóquio Internacional “Globalização da Pobreza; Pobreza da Globalização: Experiências Inovadoras e Perspectivas de Mudanças”. O evento, em sua segunda edição, é esta semana (3 a 5/12), em Lisboa, Portugal.

Além de representantes das instituições envolvidas diretamente na realização do evento, participarão das atividades professores, acadêmicos e pesquisadores de diversos países como Alemanha, França, Espanha e Bélgica. O objetivo principal é debater alternativas de desenvolvimento contra as desigualdades sociais, com palestras, mesas redondas e apresentação de resultados de pesquisas e de trabalhos científicos, em especial, das universidades.

Viabilizado a partir do convênio de cooperação entre a Unimontes e a Universidade Nova Lisboa, firmado em 2006, o Colóquio Internacional teve a primeira edição realizada na sede da Universidade Estadual de Montes Claros em agosto de 2008, com o tema “(Des) envolvimentos contra pobreza: mediações teóricas, técnicas e políticas”, com a apresentação de 203 artigos científicos, 11 conferências e seis seminários técnicos. A terceira edição, prevista para agosto do próximo ano, também será realizada na sede da Unimontes.

A Unimontes participa da organização por intermédio do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Social (PPGDS), o primeiro dos oito mestrados próprios que instituição oferece.

Foram aprovados 35 trabalhos de professores/pesquisadores da Unimontes para serem apresentados durante o colóquio.

A professora Luciene Rodrigues, do corpo docente do mestrado em Desenvolvimento Social – e integrante da comissão organizadora do Colóquio juntamente com o professor Antonio Dimas Cardoso –, diz que “Serão discutidos os aspectos relacionados à globalização e a sua incapacidade de beneficiar as populações mais pobres, privando significativa parcela da humanidade de recursos mais elementares como alimentação, cuidados de saúde e habitação, dentre outros”.

.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário