Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

UFMG detalha adesão ao Enem

Durante entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (6/05), o reitor Clélio Campolina classificou a decisão tomada na quarta-feira (5/05) pelo Conselho Universitário da UFMG como “uma escolha feita no tempo certo, de maneira adequada.” A decisão foi de aderir ao Enem, substituindo a primeira etapa do Vestibular 2011 pelo resultado do exame.

Segundo o reitor, a escolha resultou de uma intensa e democrática discussão. “O Enem é um bom critério de avaliação do ensino médio, é democrático, dá mais capilaridade e tem efeitos muito importantes de pressão para a melhoria do ensino fundamental e médio”, afirmou. Das 59 universidades federais brasileiras, apenas seis não utilizam o Enem. Dessas, três estão discutindo a possibilidade de adesão.

A partir de agora, os interessados em ingressar na UFMG deverão fazer o Enem. A inscrição no processo de seleção da UFMG continua necessária, independente da inscrição no Enem. A definição dos candidatos que irão para a segunda etapa será feita por meio do cruzamento da lista do resultado do Enem com a lista de inscritos na UFMG, que manterá a classificação de três candidatos por vaga. Os bônus de 10% para estudantes de escolas públicas e 5% para negros, aplicados sobre a nota obtida no Enem, estão mantidos. “É importante dizer que a maioria dos candidatos já faria o Enem e, portanto, serão liberados de fazer a primeira etapa da UFMG. Haverá um alívio para os candidatos”, disse Carmela Polito, pró-reitora adjunta de Graduação.

O valor e a data das inscrições ainda não estão definidos. O sistema de isenção continua mantido, ou seja, o aluno que provar, de acordo com os critérios da universidade, que não tem condições de pagar a inscrição, gozará da isenção. O Programa de Isenção da Taxa de Inscrição está aberto até segunda, dia 10 de maio, e deverá ser reaberto para beneficiar um maior número de estudantes, em data ainda a ser definida.

Prevista para acontecer de 3 a 7 de janeiro de 2011, a data da segunda etapa será alterada, já que o Enem será realizado nos dias 6 e 7 novembro e o resultado só deve ser divulgado nos dias 6 e 7 janeiro. A previsão é que a segunda etapa seja realizada no final de janeiro.

O reitor destacou que o governo federal está tomando todas as medidas para garantir a segurança do Enem, firmando convênios com o Exército e a Polícia Federal. Campolina ressaltou também que os países desenvolvidos não utilizam o método convencional do vestibular. “O Brasil está avançando e a expectativa é que o vestibular seja, em algum momento, eliminado.” Ainda segundo o reitor, ao entrar no Enem, a UFMG está credenciada a participar da sua elaboração, contribuir com a sua experiência para o aperfeiçoamento do processo.

O reitor afirmou que a adoção do Enem como um critério universal para medir o desempenho do ensino médio no Brasil terá necessariamente uma pressão sobre o sistema educacional brasileiro no sentido positivo. “Isso vai forçar o sistema educacional, a escola fundamental e a escola média, principalmente a escola pública, a adequar o seu comportamento para assegurar um desempenho adequado. Isso é um grande avanço em termos de construção democrática. A melhoria da escola pública promove a igualdade de oportunidades.”

Provas

A prova do Enem tem 90 questões, divididas em quatro áreas de conhecimento: Matemática e suas tecnologias; Ciências da natureza e suas tecnologias; Ciências humanas e suas tecnologias; Linguagens, códigos e suas tecnologias, que inclui a redação. “A prova do Enem não é mais fácil nem mais difícil que a prova da primeira etapa da UFMG. São estilos diferentes de provas. A prova do Enem cumpre bem o papel da primeira etapa do Vestibular da UFMG”, afirmou Antônia Aranha, pró-reitora de Graduação da UFMG.

Carmela Polito salientou que os candidatos terão tempo de se preparar para o Enem. “A prova exige conhecimentos gerais e não específicos. O objetivo é medir habilidades e competências dos alunos do ensino médio. Ninguém será prejudicado”, salientou.

Também participaram da coletiva a vice-reitora Rocksane de Carvalho Norton, e a coordenadora-geral do Vestibular da UFMG, Vera Resende.

 

(Assessoria de Comunicação da UFMG)

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário