Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

UFJF conquista 2º lugar nacional em aprovação no exame da OAB

Faculdade de Direito alcançou índice de 67,35% de aprovação. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou nesta terça-feira, dia 5, o ranking das instituições de ensino superior com o índice de aprovação no último exame da ordem, aplicado em dezembro de 2010. Entre todas as instituições que tiveram alunos prestando a prova, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) conquistou o segundo lugar, alcançando um índice de 67,35% de aprovação, atrás apenas da Universidade de Brasília (UnB), com 67,44%, porém, à frente de instituições como a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal do Piauí (UFPI), que, juntas aprovaram 424 novos advogados.

Foram 101 inscritos da UFJF e, desses, 85 foram aprovados na primeira fase e 66 na segunda, tornando-se efetivamente advogados pela OAB. Ao todo, o exame contou com 106.891 inscrições e o resultado dos aprovados foi publicado em 19 de junho.

Para o diretor da Faculdade de Direito da UFJF, Marcos Vinício Chein Feres, são vários fatores que levaram a Faculdade de Direito a conquistar tal colocação. Para ele, os sistemas de ingresso seletivos e altamente competitivos possibilitam captar alunos com uma base mais sólida nos ensinos fundamental e médio. Outro fator preponderante é o processo de capacitação dos professores da faculdade. “Nos últimos dez anos, os professores têm investido em uma nova metodologia de ensino e a faculdade tem uma preocupação com a formação profissional do aluno, criando nele uma capacidade de crítica e de análise.”

Segundo ele, a combinação desses fatores, levando em conta também os esforços dos alunos, que se preocupam com sua formação, é o motivo pelo qual a faculdade tem sido constantemente bem classificada em diferentes exames nacionais. “Não realizamos a preparação para o exame de ordem. O que fazemos é dar condições para que o aluno possa se preparar por si próprio. Nossa preocupação é formar um profissional que conheça o mundo ao redor, mais do que apenas tecnicamente. Isso permite que ele realize um bom exame”, declara Feres, lembrando da excelente colocação do curso no último Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). “Isso mostra que esse processo de mudança da estrutura curricular vivido nos últimos cinco anos tem sido positivo.”

Marcos Vinício: “A faculdade tem uma preocupação com a formação profissional do aluno, criando nele uma capacidade de crítica e de análise”

No entanto, o resultado da UFJF se torna positivo devido ao grande número de reprovação das faculdades do país: do total de inscritos, 88,275% não foram aprovados, ou seja, apenas 12.534 obtiveram a certificação. Na aplicação realizada anteriormente, o índice chegava a quase 90%. O Ministério da Educação (MEC) registra 1.120 cursos superiores de Direito no país, totalizando cerca de 650 mil vagas.

*Instituições sem aprovações*

Embora a UFJF tenha conquistado um importante lugar no exame da OAB, o cenário não é tão positivo para os outros cursos de Direito. De todas as instituições que tiveram alunos inscritos, 90 faculdades não obtiveram nenhuma aprovação, segundo informações da OAB. Das 90 faculdades, 51 inscreveram menos de dez alunos para a prova. Em Minas Gerais, nove instituições, com 102 inscritos, não tiveram nenhum bacharel aprovado.

De acordo com o presidente nacional da OAB, Ophir Calvalcante, em depoimento ao site de notícias “G1”, a OAB vive exclusivamente da contribuição dos integrantes e os advogados pagam anuidade. “Se tivéssemos dois milhões, teria recursos para desenvolver atividades bem maiores. Temos 700 mil advogados. Para a OAB seria confortável. Nossa preocupação não se mede pelo número, mas pela qualidade”, disse em resposta às reclamações recebidas sobre o nível de dificuldade dos exames.

Já Marcos Vinício Feres acredita que esse problema deve ser objeto de pesquisa para os que lidam com as áreas do Direito. “É um ponto de partida para uma reflexão sobre o ensino jurídico que é realizado no país, para todos nós que trabalhamos nesta área: pensar o objetivo dos cursos, que tipo de sociedade pretendemos construir e quais profissionais estamos preparando. O exame de ordem tem esse papel, inclusive”, conclui.

O próximo exame da OAB está marcado para 17 de julho, com segunda fase
prevista para 21 de agosto.

Para saber mais clique aqui

Outras informações: (32) 2102-3501 (Faculdade de Direito)

*Lucas Mendes de Paiva, estudante de Comunicação Social*

*Os textos são editados por jornalistas da Secretaria de Comunicação*

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário