Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Software gratuito

A estudante Maria Tereza de Castro, do curso de Computação – Sistemas de Informação do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste-MG), produziu um software capaz de indicar os melhores programas para o desenvolvimento de atividades em equipe, de acordo com as necessidades de usuários da Educação a distância (EAD). Em breve, a estudante disponibilizará o sistema, de forma gratuita, na internet.

O software foi criando com o objetivo de amenizar a falta de proximidade física entre professores e alunos na educação a distância. A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Inteligência Computacional do Unileste.

Como reconhecimento ao seu trabalho, a estudante teve dois artigos selecionados para apresentação no “XI Congresso Internacional de Educação em Engenharia e Tecnologia (Intertech)”, que será realizado entre os dias 7 e 10 de março, em Ilhéus, na Bahia. O evento contará com a presença de pesquisadores e autoridades mundiais interessados no desenvolvimento de tecnologias aplicadas à Educação.

Ferramentas colaborativas

Realizada sob orientação do professor Francisco Fernandes Reinaldo, a pesquisa desenvolvida por Maria Tereza foi composta por duas etapas. A primeira consistiu em avaliar as vantagens do uso das ferramentas colaborativas acessíveis pela internet. Para isso, a estudante analisou o programa Etherpad. “Por meio deste editor de texto, é possível escrever a várias mãos, simultaneamente. Essa ferramenta se mostrou bastante eficiente para grupos que trabalham em cooperação na resolução de problemas, mesmo que todos os membros não estejam fisicamente no mesmo local, ao mesmo tempo”, aponta.

Em seu estudo, a aluna também abordou o processo de colaboração textual, analisando a autoria colaborativa. “Acredito que tanto o programa analisado quanto os demais sistemas colaborativos potencializem o trabalho em grupo”, afirma.

A segunda etapa da pesquisa consistiu no desenvolvimento de um software capaz de ajudar os usuários a fazer a escolha da ferramenta colaborativa mais adequada à sua necessidade. “O sistema funciona de forma simples. Por meio de campos de escolhas disponíveis pelo programa, o usuário indicará as principais funcionalidades para obter as ferramentas. A partir deste procedimento, o programa analisará as informações, indicando ao usuário o sistema que melhor atende suas necessidades”, detalha Maria Tereza.

Por meio do programa serão disponibilizados centenas de sistemas colaborativos, que atenderão aos mais vastos campos de atuação profissional. “A proposta deste sistema é auxiliar os estudantes. Assim, eles terão acesso às melhores ferramentas para desenvolverem seus trabalhos coletivos e colaborativos, da forma mais estratégica”, afirma a estudante.

Para Maria Tereza, embora as ferramentas colaborativas sejam eficazes, ainda são pouco difundidas no Brasil. “A tendência é que o uso das ferramentas colaborativas cresça a cada dia, pois elas contribuem muito para o campo acadêmico, tanto para o ensino a distância, quanto na modalidade presencial. Em outros países, elas já são bastante utilizadas”, finaliza.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário