Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Reitor anuncia investimentos na UFJF

Mais de R$ 184 milhões serão investidos na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em 2011. Serão R$ 155,2 milhões em obras e R$ 28,8 milhões em equipamentos, móveis e projetos que beneficiarão toda a comunidade acadêmica e a população de Juiz de Fora e região.

Além de mais salas de aula, laboratórios e auditórios para alunos e professores, no próximo ano, cerca de R$ 136 milhões serão aplicados na construção do novo Hospital Universitário (HU). Confira aqui mais detalhes.

O reitor Henrique Duque aproveitou as comemorações dos 50 anos da Universidade para divulgar os números em entrevista coletiva à imprensa, realizada no Museu de Artes Murilo Mendes (Mamm).

Segundo Duque, um sentimento de inquietação toma conta desta gestão e, por isso, os novos investimentos “são o prenúncio de que iremos superar aquilo já realizado no primeiro mandato”. Além dos recursos da União, a UFJF contou com o apoio de emendas parlamentares de deputados e com investimentos do Governo Estadual para reunir o montante.

Durante o encontro foi assinado o contrato de compra de equipamentos para criação do planetário que será instalado na área central do campus. O representante da empresa Omnis Lux, Luiz Sampaio, comentou estar feliz por realizar um sonho antigo de toda a cidade. Lembrou que este projeto vem sendo discutido há 30 anos e que, agora, com o apoio do reitor, pode se tornar realidade. A Omnis Lux representa a empresa alemã Carl Zeiss, vencedora da licitação para o planetário.

Segundo Sampaio, só existem nove planetários no mundo com a tecnologia a ser adotada pela UFJF. As estrelas serão reproduzidas na mesma intensidade, cor e tamanho por meio de fibra ótica. O conjunto de projetores possibilitará a reprodução dos astros e também de filmes com imagens 3D. “A sala será multimídia, podendo ser usada por congressos científicos e, ainda, transmitir cirurgias, por exemplo, em tempo real aos alunos”.

Inovação e qualidade de ensino no HU
O diretor geral do HU, Dimas Araújo, disse que com os novos investimentos o Hospital passará a oferecer serviços de alta complexidade. Além de atender a toda comunidade da Zona da Mata, o novo HU irá trazer avanço na qualidade de ensino, pesquisa e extensão.

No projeto elaborado pela equipe de arquitetura do HU, está prevista a construção de 11 blocos, com 30 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) adulto, 20 de UTI neonatal, internação pediátrica, maternidade, geral e psiquiatria, somando 347 leitos.

A obra, cuja terraplanagem já foi iniciada ao lado da unidade Dom Bosco (HU/CAS), é resultado da parceria entre o Ministério da Saúde e a Secretaria da Saúde de Minas Gerais com o apoio da Prefeitura de Juiz de Fora. O prazo de execução é de dois anos.

De acordo com a chefe do Ambulatório de Cirurgia Plástica, Marília Dornelas, a criação do Setor de Internação de Queimados, com oito leitos, será referência para inúmeras cidades, já que o mais próximo, atualmente, localiza-se no Rio de Janeiro.

O chefe do serviço de Obstetrícia e supervisor da Residência Médica em Obstetrícia, Tadeu Coutinho, define a construção da maternidade e do Centro de Parto Normal, que juntos oferecerão 36 leitos, como uma oportunidade mais global para ampliar a qualidade da assistência à saúde da mulher e, principalmente, do ensino. “É o marco da virada do século para a saúde em Juiz de Fora e região, e representa um grande avanço para o ensino e expansão da pós-graduação”.

Outra conquista será a ampliação da UTI. “Com os novos leitos a oferta, em Juiz de Fora, estará próxima de atender a demanda”, destaca o Chefe da UTI do HU, Júlio César Abreu de Oliveira. Ele ressalta ainda que a expansão permitirá, inclusive, criar uma residência específica na área, fortalecendo a formação de novos profissionais.

O Hospital também receberá quase R$ 7 milhões para equipamentos, entre eles, uma UTI móvel e uma unidade de hemodinâmica. Outra parte vai atender as áreas de pesquisa em anestesia, células tronco, cirurgia, farmácia, fisioterapia, ginecologia, patologia e transplante de medula óssea.

Dezessete máquinas de hemodiálise, avaliadas em R$629 mil, poderão gerar uma economia de R$360 mil por ano, já que o Hospital mantém máquinas alugadas. O MEC contemplou o HU com arco-cirúrgico e um CR-digitalizador de imagens, estimado em R$600 mil. A previsão é que estes equipamentos sejam instalados no primeiro semestre do próximo ano.

Instituto de Artes e Design
Com nova obra orçada em R$ 4,3 milhões, o Instituto de Artes e Design (IAD) da UFJF ganhará mais um bloco de dois pavimentos e um galpão de oficinas. O novo espaço, segundo o diretor Ricardo de Cristófaro, visa melhorar a infraestrutura para atender aos novos cursos criados, principalmente, os de segundo ciclo, que começam em 2012.

Esta nova etapa do projeto do IAD prevê salas com tratamento acústico para as aulas de performance musical e ensaios de grupo e orquestra; laboratórios, estúdio e sala multiuso para os cursos de Cinema; oficinas de modelagem e costura para a habilitação em Moda; marcenaria e serralheria destinada a parte prática do curso de Design. De acordo com o diretor, haverá, ainda, cantina, teatro de arena, área de integração, estacionamento, além de secretaria e biblioteca, que atualmente funcionam de maneira improvisada.

Instituto de Ciências Exatas e Engenharia
Os departamentos de Engenharia Computacional, Estatística, Ciências da Computação e Matemática terão novas acomodações. Um prédio de quatro pavimentos, orçado em R$ 3,3 milhões, irá abrigar salas de aula, laboratórios de ensino, secretaria e um auditório.

Segundo o diretor do Instituto de Ciências Exatas (ICE), Rubens de Oliveira, o Reuni aumentou o quadro de professores e o número de vagas, por isso, na estratégia de remodelar o ICE, foi pensado um local específico para atender a estes cursos. Ele conta que na Matemática as novas instalações irão favorecer também os mestrados oferecidos. O prédio está previsto para ficar pronto em 2012.

Economia
Segundo o diretor da Faculdade de Economia, Lourival de Oliveira Junior, sua unidade vive um processo de expansão quantitativa e qualitativa desde a separação da Faculdade de Administração (FEA). Por isso, o novo prédio de quatro andares a ser construído no ano que vem será fundamental para atender as novas necessidades do curso de graduação e da pós-graduação.

Em breve, a Economia deverá ganhar um doutorado e também expandir seus projetos de pesquisa, de iniciação científica e poderá criar um Programa de Educação Tutorial (PET). “O espaço irá viabilizar todas estas oportunidades”. O anfiteatro previsto para o local será usado para eventos e também para a disciplina “Economia” (Eco034), que recebe estudantes de diversos cursos da UFJF.

O prédio será construído atrás da Faculdade de Educação, e estão previstos para a obra R$ 4,3 milhões. A expectativa é de que a Economia troque as instalações da antiga FEA para o novo edifício em 2012.

Fisioterapia
A Faculdade de Fisioterapia está em processo de implementação de sua estrutura administrativa, desde que se tornou unidade acadêmica no final do ano passado. A construção do novo prédio, junto ao HU/CAS, permitirá a transferência da unidade do campus para as proximidades do ambulatório de Fisioterapia, onde são ministradas as aulas práticas das disciplinas aplicadas do curso.

Para a diretora Lílian Pinto, esta mudança será fundamental para o crescimento e modernização do curso, já que atualmente há uma limitação de espaço físico no Centro de Ciências da Saúde. A localização estratégica facilitará o desenvolvimento de pesquisas e projetos de extensão com o envolvimento dos pacientes atendidos no CAS.

O prédio, que está em processo de início de construção, prevê um investimento de aproximadamente R$ 3,5 milhõess e terá três pavimentos: no primeiro estarão localizados os laboratórios de ensino e pesquisa, a fim de facilitar o acesso de pacientes; no segundo estarão laboratório de informática, anfiteatro e salas de aula; e no terceiro estarão alocados setores administrativos e gabinetes de professores.

Outras obras e novos equipamentos
No Cine-Theatro Central, haverá reforma dos camarins e de 21 sanitários, modernizando e adequando-os aos portadores de necessidades especiais. O teatro figura ao lado do Museu Mariano Procópio como um dos principais ícones da cultura em Juiz de Fora e o único da cidade tombado pelo Governo Federal. Atualmente, os camarins e banheiros não comportam mais o volume de atividades promovidas no Central e, por isso, foi solicitada a revisão das instalações.

Na UFJF, melhorias no sistema viário próximo às Faculdades de Educação, Comunicação, ICH e Centro de Ciências da Saúde irão favorecer o acesso e a segurança dos usuários, além de aumentar o estacionamento no local.

Em relação aos equipamentos e projetos, a Universidade investirá quase R$ 22,2 milhões, sendo R$ 7,8 milhões para suprir as demandas das unidades acadêmicas. Cerca de R$ 3 milhões serão empregados em tecnologia da informação, melhorando rede de dados, armazenamento, transmissão e segurança. Segundo o vice-reitor, José Luiz Rezende Pereira, “são equipamentos de primeiro mundo” e que darão mais velocidade ao sistema da UFJF. Para o projeto do Parque Tecnológico serão alocados cerca de R$ 5 milhões.

Emendas parlamentares
Mais de R$ 22 milhões do pacote anunciado foram captados através de emendas parlamentares. Os deputados Paulo Delgado (PT) e George Hilton (PRB) foram responsáveis por R$ 6 milhões cada; Mário Heringer (PDT) e Luiz Fernando Faria (PP), R$ 4 milhões cada; Júlio Delgado (PSB), R$ 2,5 milhões; e o senador Eliseu Rezende, R$ 100 mil. O Governo Estadual investiu R$ 19 milhões no HU.

Fonte: UFJF Online

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário