Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Profissão de Pedagogo

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, esta semana (19/08) a regulamentação da profissão de pedagogo. O texto prevê que apenas quem tiver graduação em pedagogia poderá exercer a profissão.

Quem tiver pós-graduação na área, porém, independentemente do curso de graduação, poderá exercer funções de administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional na educação básica.

Atualização e complementação

O relator da matéria na CCJ, deputado Jefferson Campos (PTB-SP) afirma que “a profissão já está regulamentada” e que a proposta “apenas atualizou e complementou a regra vigente sobre essa matéria”.

O deputado referia-se a dispositivos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), especialmente ao que determina que “a formação de profissionais de educação para administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional para a educação básica, será feita em cursos de graduação em pedagogia ou em nível de pós-graduação”.

Fiscalização

O relator do projeto na Comissão de Educação e Cultura, Átila Lira (PSB-PI), que propôs o substitutivo, admitiu, porém, que existia uma lacuna na legislação, que não defina a atuação do pedagogo fora da atividade escolar.

A principal inovação do texto aprovado em relação ao original é a supressão da previsão de um órgão de fiscalização da profissão. Entendeu-se que a fiscalização feita pelo Ministério da Educação e pelas secretarias estaduais e municipais de educação é suficiente para coibir os desvios.

Atividades exclusivas

Entre as atividades que passam a ser exclusivas do pedagogo estão:
– a elaboração e o acompanhamento de estudos, planos, programas e projetos da área de educação, ainda que não escolares;
– gestão educacional nas escolas e nas empresas de qualquer setor econômico;
– a administração, o planejamento, a inspeção, a supervisão e a orientação educacional nas escolas;
– o recrutamento, a seleção e a elaboração de programas de treinamento e projetos técnico-educacionais em instituições de diversas naturezas.

Como a proposta tramitou em caráter conclusivo, ela segue para análise do Senado, caso não haja recursos para que seja votada pelo Plenário.

(Agência Câmara)

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário