Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Olimpíadas 2016

A cidade do Rio de Janeiro foi escolhida, no início da tarde sexta-feira (horário de Brasília, 2/10), para sediar as Olimpíadas de 2016. O anúncio foi feito em Copenhaguen (Dinamarca), pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, depois de concluída a votação entre as finalistas Rio de Janeiro, Tóquio, Chicago e Madrid.

O Reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), professor Henrique Duque, comemorou a notícia e espera agora que a experiência da UFJF na Copa de 2014, através do convênio firmado com o Instituto João Havelange e o Instituto de Educação e Desenvolvimento (IEDS- Digital), possa ser útil também nos Jogos Olímpicos.

Até 2016, a UFJF já terá uma boa “bagagem” com eventos esportivos de grande porte. A instituição oferecerá cursos de capacitação para as pessoas que irão trabalhar na organização e realização da Copa do Mundo de 2014, também com sede no Brasil. Em parceria com os dois institutos, a Universidade capacitará, por meio do Núcleo de Educação a Distância (NEAD), 250 mil pessoas em todo o país em áreas como hotelaria, turismo, saúde, comunicação e segurança.

O Reitor Henrique Duque destacou a importância da participação na Copa de 2014 e mostrou a disposição da UFJF em participar também das Olimpíadas: “Eventos desse tamanho nos deixam muito otimistas dentro das universidades, porque para nós, além de saúde, esporte também significa educação, pesquisa e extensão”, declarou.

O reitor acredita que a universidade poderá aproveitar a expertise da Copa de 2014 nas Olimpíadas de 2016. “Acredito que a competência nós já teremos. Para nós é motivo de muita alegria e satisfação participar”, comemorou o reitor da UFJF.

O Rio de Janeiro será a primeira sede dos Jogos Olímpicos na América do Sul. O Brasil já tinha pleiteado a sede das Olimpíadas com um projeto de Brasília para o evento de 2000 e duas candidaturas do próprio Rio de Janeiro, em 2004 e 2012.

A escolha do Rio de Janeiro como cidade-sede demonstra o reconhecimento mundial de que o Brasil pode acolher eventos como os Jogos Olímpicos. A Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) reforça que as Instituições Federais de Ensino Superior estarão à disposição do governo e do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para auxiliar a organização dos Jogos.

O projeto brasileiro para as Olimpíadas de 2016 é estimado em R$ 25,9 bilhões e os gastos serão divididos entre os governos federal, estadual e municipal e a iniciativa privada.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário