Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Inverno Cultural

 

A Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) realizou coletiva para a imprensa local, na última terça-feira (5/05), sobre as modificações e atrações do seu festival de arte e cultura, o “Inverno Cultural”. O período de realização será de 11 a 19 de julho. Os eventos serão realizados todos em São João del-Rei e a previsão é que sejam entre 40 e 50 atrações. Os grandes shows, por enquanto, não estão incluídos na programação de 2009. “Os grandes shows são muito esperados pela população em geral, mas infelizmente este ano não temos como anunciá-los”, ponderou o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários, Marcos Vieira Silva, coordenador do evento.

Na parte da programação, uma das novidades é o espetáculo musical, “Êta Muleque Bamba”, apresentado em diversas capitais brasileiras e que conta a vida e a obra do ator Grande Otelo. Ele será uma das grandes atrações do 22º Festival. Também como tributo ao ator mineiro, está prevista uma exposição no Centro Cultural da UFSJ, com curadoria da arquiteta e cenógrafa Márcia Moon, que atuou na concepção museográfica do novo Museu do Futebol, instalado em São Paulo.

Outras atrações anunciadas durante a coletiva foram a participação da Mimulus Companhia de Dança, que apresentará o espetáculo “Dolores”, baseado nas trilhas sonoras dos filmes do cineasta Pedro Almodóvar, o “Festival de Música Pop & Rock”, que terá seis bandas selecionadas, e a provável volta da Rotunda como espaço de eventos do festival.

As oficinas serão 58, incluindo opções para todas as faixas etárias. Por áreas, a divisão ficou assim: nove em artes cênicas, 17 de música, 10 de projetos especiais, sete em arte-educação, cinco em artes visuais, cinco em artes plásticas e cinco em literatura.

As taxas de inscrição para as oficinas permanecerão as mesmas do ano passado: R$ 15 e R$ 20. “Estamos mantendo a diversidade, a mesma qualidade e temos atividades para todas as idades e públicos”, explicou o pró-reitor Marcos Vieira.

Novo formato
A crise financeira mundial foi o fator determinante para que a UFSJ decidisse pela mudança de formato que, segundo a reitoria, pode não ser definitiva nos outros anos. Desde 1998, o Inverno Cultural é realizado com apoio de patrocinadores, a maioria de exportadores, através de Leis de Incentivo à Cultura em níveis federal e estadual.

Segundo a reitoria, a UFSJ não gastou, nos últimos anos, recursos financeiros do seu orçamento no festival. As verbas para oficinas e eventos foram captadas junto a empresas que associavam suas marcas a um dos mais importantes festivais de arte e cultura do país.

A partir de 2004, segundo dados apresentados pelo reitor, Helvécio Luiz Reis, e houve um crescente aumento do orçamento do festival, que passou de R$ 450 mil para R$ 1,5 milhão de recursos investidos por empresas. “Com a crise, não só o Inverno Cultural, mas projetos culturais de diversas naturezas em todo o país estão sofrendo com a incerteza que paira no meio empresarial. A crise estourou em outubro do ano passado e a economia internacional não vem reagindo como os próprios economistas previam”, explicou o reitor.

Consciente da importância do festival, a Universidade, mesmo sem saber com que recursos poderá contar, decidiu realizar o evento, reduzindo o número de eventos e oficinas, sem deixar de lado a qualidade. “Estamos otimistas, esperamos o apoio de algumas empresas que ainda não deram resposta, e estamos empenhados na busca de soluções”, revelou o reitor.

A vice-reitora, Valéria Kemp, ressaltou que, apesar da mudança de formato, o objetivo do festival será mantido. “Todos esses anos, a UFSJ tem tido muito carinho ao envolver a comunidade no seu maior projeto de extensão. O Inverno Cultural não é da UFSJ, mas realizado em parceria com a comunidade são-joanense. Desde a primeira edição, o espírito do evento é a produção e formação cultural. E estamos como que resguardando este espírito”, afirmou.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário