Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Inscrições para Novo Enem

 

Inscrições

O Ministério da Educação (MEC) divulgou que as inscrições para o Novo Enem estão previstas para o período de 15 de junho a 17 de julho. O modo de inscrição ainda não está definido. As provas serão realizadas nos dias 3 e 4 de outubro, divididas em quatro períodos. O valor da taxa de inscrição é de R$ 35,00. Alunos de escolas públicas e de baixa renda estão isentos do pagamento. As provas serão compostas por 200 testes e uma redação. A divulgação dos resultados das quatro provas de múltipla escolha ocorrerá em 4 de dezembro, e o resultado final será conhecido em 8 de janeiro.

O novo Enem poderá ter até 11 horas e meia de duração. A proposta inicial é a de que o candidato tenha até duas horas e meia para resolver os 50 testes de cada área do saber e mais uma hora e meia para a redação.

Pontuação

A prova do Enem trará quatro notas diferentes, uma para cada área do conhecimento avaliada. Não haverá diferenciação dos pesos. O que pode ocorrer é que, nos processos seletivos, as instituições utilizem pesos diferenciados entre as áreas para classificar os candidatos, de acordo com os cursos pleiteados.

A nova prova do Enem será estruturada na metodologia da Teoria da Resposta ao Item (TRI), que garante a comparabilidade das notas entre diferentes edições a partir da calibração do grau de dificuldade das questões. Dessa forma, diferentemente dos anos anteriores, as questões da prova do Enem serão distribuídas em graus diferenciados de complexidade. Isso significa que, no cálculo final da nota em cada área, as questões mais difíceis valem mais que as questões menos complexas.

Prova Matriz

Veja, aqui, a matriz da prova de habilidades do Novo Enem!

Já está disponível para consulta a matriz de habilidades do novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O documento, que é um guia para orientar a elaboração dos itens da prova, foi aprovado na manhã desta quinta-feira, 14, pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). Os reitores das universidades federais também já deram o aval para a utilização do instrumento.

A matriz está organizada nas quatro áreas que comporão o exame: linguagem, ciências da natureza, ciências humanas e matemática. Assim, a nova prova do Enem, que será aplicada em outubro, cobrará os mesmos conteúdos pedidos pelos atuais vestibulares, mas o formato da prova será diferente. Agora, os estudantes terão de usar mais a capacidade de raciocínio e compreensão do que de memorização. A expectativa é de que a nova concepção do Enem ajude a reestruturar o currículo do ensino médio.

Com a matriz definida, o Comitê de Governança do novo Enem, representado pelo MEC, reitores de universidades e secretários estaduais de educação poderão aprimorar as edições seguintes da avaliação. Para isso, serão criadas comissões temáticas, compostas por especialistas de cada área do conhecimento, que vão analisar o conteúdo a ser cobrado nas próximas edições.

Conselho de secretários estaduais propõe Enem para todos, em 2010

Em reunião desta quinta-feira (14/05), o Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) propôs que o novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) seja universalizado em 2010. Assim, todos os estudantes da rede pública serão obrigados a fazer a nova prova. O exame pode servir também para o estudante que fez o ensino médio na modalidade educação de jovens e adultos obter o certificado de conclusão. A proposta foi apresentada pela presidente do Consed, Maria Auxiliadora Seabra, ao ministro da Educação, Fernando Haddad.

Ao acatar a proposta, Haddad pediu um estudo de logística para garantir o acesso de todos os estudantes aos locais de prova em todo o território nacional. Segundo o ministro, ao contrário da Prova Brasil, que é aplicada em sala de aula nas turmas regulares (e também será realizada este ano), o novo Enem terá datas e locais específicos. “Mais do que a aferição do conhecimento do aluno, a prova pode representar o acesso dele à universidade, o que exige cuidados maiores com a segurança”, explicou.

O Consed entende que o novo formato da prova permitirá a reestruturação do ensino médio e que, com isso, o currículo dessa etapa do ensino passará a orientar os processos seletivos de acesso à educação superior, não o contrário, como ocorre hoje.

Para Maria Auxiliadora, o novo formato do exame provoca debates nos estados e a aproximação entre os secretários de educação e reitores.


Comitê do novo Enem aprova matriz de habilidades para prova de outubro (reunião em 13/05)

A representação dos reitores das universidades federais, que integra o Comitê de Governança do novo Enem, aprovou, por unanimidade, nesta quarta-feira (13/05), a matriz de habilidades, que é o guia que orienta os especialistas como abordar os conteúdos na elaboração dos testes do exame neste ano.

A matriz, segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, respeita os conteúdos estudados pelos alunos no ensino médio. Para Haddad, a mudança que vem com o novo Enem não é para esvaziar o ensino médio, mas para abordar os conteúdos privilegiando a capacidade de raciocínio do aluno e não a decoreba. E dá um exemplo: se o estudante compreende um fenômeno da natureza, mesmo que tenha esquecido a fórmula, ele dará a resposta certa por outros meios. No novo modelo, diz, não serão cobradas datas, mesmo de episódios importantes. A matriz vai estar disponível para consulta no portal do MEC.

A matriz de habilidades será apresentada nesta quinta-feira (14/05), ao Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), entidade que passa a integrar o Comitê de Governança. O Comitê é constituído por representações do Ministério da Educação, dos reitores das universidades federais e, a partir desta quinta-feira (14/05), também pelo Consed. 

O ingresso do Consed no comitê, segundo o ministro, é o ponto de partida para o início da reforma do currículo do ensino médio com vistas ao novo Enem e às expectativas das universidades. O ministro também falou sobre o crescimento do numero de universidades que estão adotando o exame como nota única de ingresso. Mesmo as instituições que não participarão este ano, diz, certamente se integrarão em 2010.

Com a expectativa de que as inscrições de alunos no novo Enem alcancem entre cinco e seis milhões, Haddad informa que pediu reforços ao Ministério da Justiça para ampliar a segurança em todo o processo, da reprodução à aplicação das provas, em mais de 1.500 municípios. O reforço será da Polícia Federal.

Sobre a iniciativa de ações na justiça alegando prejuízo aos atuais estudantes do ensino médio, Haddad explica que isso é “precipitado”, porque todo o cuidado foi tomado para respeitar os conteúdos que se oferecem hoje aos estudantes.

Fonte: Assessoria do MEC

 

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário