Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Início do semestre

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) recebe, nesta segunda-feira (15/03), 13.573 alunos de graduação e 1.793 calouros do primeiro semestre aprovados no Vestibular 2010 e Pism.

A expectativa de quem inicia a vida universitária pela primeira vez é grande, como aponta Vanessa Ferrari, aprovada no curso de Ciências Biológicas: “Espero que eu aprenda muito aqui, mais do que uma profissão, um novo jeito de lidar com as pessoas e com a vida”. Para o calouro de Engenharia Civil, Janderson Sena, a próxima segunda-feira terá um significado especial, já que ele estava sem estudar há cinco anos, dedicando-se somente ao trabalho.

Entre a divulgação do resultado final do Vestibular e a matrícula, passaram-se apenas três dias e, por isso, os novos alunos ainda estão assimilando as novidades. “Foi uma mudança muito rápida, de repente, me vi aprovada e já tendo que começar a estudar na semana que vem”, define Vanessa. Victor Rodrigues de 17 anos e novo aluno de Ciências Sociais compartilha a mesma impressão: “É uma grande mudança na minha vida, em um dia resultado, na mesma semana a matrícula, na outra semana o início das aulas. Eu gosto desse ritmo acelerado, e não vejo a hora do começo das aulas”.

Segundo o pró-reitor de Graduação, professor Eduardo Magrone, a iniciação dos novos alunos costuma ser um pouco difícil, pois o calouro vem de uma metodologia de ensino ditado por avaliações, totalmente diferente daquela encontrada no ensino superior. “Essa metodologia do ensino médio condiciona o comportamento dos alunos e, de certa forma, ele acaba querendo algo semelhante, e não é isso que a UFJF tem a oferecer”. Magrone explica que na Universidade o estudante vai aprender a ter autonomia, vai alcançar um novo nível de maturidade. “Ele [estudante] é quem vai buscar pelas informações que nós temos a oferecer, terá que aprender a estudar sozinho, fazer trabalhos extraclasse, utilizará outros meios como a internet e a biblioteca”.

Durante a matrícula os calouros receberam um manual com dicas básicas sobre a vida acadêmica. Nele estão incluídos mapa do campus, telefones úteis, linhas de ônibus e um “dicionário universitário”. Eles também receberam um número e uma senha para acesso ao SIGA – sistema interno da universidade usado pelo aluno para acompanhar suas notas, fazer reservas de livro na biblioteca e matricular-se nos próximos períodos. Qualquer dúvida pode ser tirada na Central de Atendimento, localizada no prédio da Reitoria.

A Diretoria de Comunicação divulgará, nos próximos dias, como será feita a recepção dos calouros este ano, e cada unidade cria calendário próprio para acolher os novos alunos.

Pró-reitor alerta para proibição de trote na UFJF

Eduardo Magrone, pró-reitor de Graduação da UFJF, além de desejar uma boa chegada aos novos alunos que estão ingressando na instituição, alerta os calouros e veteranos sobre a prática do trote.

“O trote em sua generalização tem dois significados: para o calouro é a anunciação de sua vitória; e por outro lado é uma forma de recepção dos veteranos para lhes mostrar que pertencem a um novo grupo. O que nós condenamos é o tipo de trote que agride fisicamente e moralmente. Esta é uma prática fascista que leva à supressão da individualidade dos sujeitos por meio de adjetivos pejorativos, e o pior é que esta prática está incutida na sociedade através desse trote violento”.

Magrone explica que a política da UFJF não é de repressão, no entanto, o trote é proibido dentro do campus, pois a instituição tem que zelar pela integridade física e moral de seus acadêmicos. Fora do campus a Universidade não tem jurisdição para punir os estudantes. “A própria constituição proíbe essa prática, ninguém pode ser obrigado a se submeter à vontade de outra pessoa”, salienta.

Em caso de problemas em relação ao trote, a orientação aos calouros é para protocolar as queixas na Central de Atendimento (CAT) ou junto à coordenação da unidade a qual pertencem. Os alunos que forem responsabilizados por qualquer ato de agressão, caso exista, podem receber desde uma penalidade por escrito até mesmo o desligamento da instituição. O pró-reitor esclarece que até hoje não houve denúncias de casos graves deste tipo.

A Universidade incentiva ações solidárias, como as realizadas por grupos de estudantes nos anos anteriores que se mobilizaram na doação de sangue e arrecadação de alimentos, por exemplo.

Por fim, o pró-reitor reitera suas boas-vindas a todos: “Estamos de portas abertas aos novos acadêmicos. Aproveitem bastante a oportunidade e usufruam da melhor forma desse novo estágio de suas vidas, pois esta é uma etapa de mudanças que lhes dará mais maturidade e lhes trará mais responsabilidade.”

Outras informações, reclamações ou denúncias: (32) 2102-3999/3978/3911 Central de Atendimento.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário