Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Festival da UFMG

O 42° Festival de Inverno da UFMG, que acontece de 20 a 29 de julho, em Diamantina, está com inscrições abertas, até 24 de junho. As matrículas para as atividades que não precisam de seleção serão de 1° a 19 de julho. A programação de eventos que acontecem paralelamente às oficinas será divulgada no final de junho.

Com o tema “Projeções – capturas e processos”, esta edição terá como eixo a produção cinematográfica, sob diferentes aspectos. Um filme será produzido coletivamente nas oficinas oferecidas aos participantes, com atuação dos artistas convidados. A programação prevê cursos e oficinas de iniciação e aprofundamento nas áreas de artes cênicas, literárias, musicais, visuais e de projetos especiais, além de apresentações artísticas, exposições e instalações.

Arnaldo Antunes, Naná Vasconcelos e o ator Paulo José, além do documentarista Eduardo Coutinho e do curador da Bienal de São Paulo, Agnaldo Faria, são presenças confirmadas.

Histórico

Em sua 42° edição, o Festival de Inverno da UFMG é programa de extensão na área de artes e cultura, um dos mais antigos promovido por uma instituição de ensino superior no país. Ele procura manter sua proposta de atuação como espaço de iniciação, aprofundamento, experimentação e pesquisa de novas linguagens artísticas.

A maioria dos artistas participantes vem de espaços formais de aprofundamento artístico ou possui algum tipo de formação acadêmica. O evento tem como público estudantes e profissionais das áreas de artes, cinema, letras e comunicação.

Projetos especiais destinados à população de Diamantina serão desenvolvidos durante o Festival, com apoio da prefeitura. Neste ano o foco será a formação profissional de músicos da região, levando em consideração a tradição da população na área.

Criado em 1967, o Festival de Inverno da UFMG já foi sediado em Ouro Preto, Diamantina, São João del-Rei, Poços de Caldas e Belo Horizonte. Foi marcante no desenvolvimento e consolidação de grupos artísticos atualmente reconhecidos nacional e internacionalmente, como Corpo, Uakti e Giramundo – todos articulados durante edições do Festival.

Desde 2000 o evento é realizado em Diamantina, cidade reconhecida pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, do Vale do Jequitinhonha.

Mais informações no site do Festival.

(Com Agência UFMG)

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário