Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Consórcio de universidades é discutido em reunião com o ministro Fernando Haddad

O reitor da UFV, professor Luiz Cláudio Costa, reuniu-se na ultima segunda-feira (19/07), em Brasília, com o ministro Fernando Haddad, a secretária da SESu, Maria Paula, o secretário executivo do MEC, Henrique Paim, e o presidente da Capes, Jorge Guimarães, para discutir a proposta de criação de um consórcio de instituições federais de ensino superior. Participaram do encontro reitores e representantes das universidades federais de Alfenas, Itajubá, Juiz de Fora, Lavras, São João Del Rei e Ouro Preto.

Na ocasião foram discutidas a localização geográfica, a qualidade e a complementaridade de ações das universidades e o potencial de criação de um consórcio que permitiria, além da integração acadêmica nos campos de ensino, pesquisa e extensão, formas mais eficientes e eficazes para utilização racional de recursos, parcerias para o desenvolvimento e troca de tecnologias, atuação em áreas estratégicas e, ainda, soluções para os problemas sociais da região, do país e do mundo.

Pela proposta em debate, as instituições manteriam sua autonomia e especificidades e elaborariam um único plano de desenvolvimento Institucional (PDI) em consonância com o PDI de cada instituição. Ao final da reunião ficou definida que novas reuniões entre os reitores e o MEC, bem como em cada universidade serão realizadas para analisar a viabilidade da proposta.

No conjunto, essas instituições têm campi em 17 municípios do sudeste de Minas Gerais e atendem polos de educação a distância em 55 cidades. Elas reúnem 3,5 mil professores, quatro mil técnicos administrativos, 41 mil alunos de graduação e 5,3 mil de pós-graduação.

Na opinião do reitor Luiz Claúdio Costa, a iniciativa do MEC potencializa as ações das universidades para níveis regionais, nacionais e até internacionais. “É uma iniciativa inédita de somar forças. Poderemos oferecer cursos, disciplinas, formação de pós-graduandos em conjunto, se for o caso e otimizar recursos e esforços que resultem em ações mais amplas para a sociedade. As instituições são complementares e este projeto respeita as características e autonomia de cada uma das universidades, mas juntas somos mais fortes para dar respostas à sociedade em ações de ensino, pesquisa e extensão”, diz Luiz Claudio. Ele afirma ainda que o consórcio irá permitir ações estratégicas das universidades para o estado e o país.

Em 260 cursos presenciais, essas instituições oferecem 15,6 mil vagas de ingresso anual, além de 111 cursos de mestrado e 59 de doutorado. As universidades são ainda reconhecidas pela qualidade dos cursos de graduação e pós-graduação. Na graduação, todas contam com índice geral de cursos (IGC) entre 4 e 5. Na pós-graduação, 15 programas têm nível 5; cinco têm nível 6 e dois nível 7, o mais alto.

(Assessoria de Comunicação da UFV)

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário