Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Bacharelado na UFJF

A inclusão do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas no Vestibular 2010 e no PISM da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) soma-se a outro bacharelado – o Interdisciplinar em Artes e Design – e ao Curso de Ciências Exatas, que têm funcionamento semelhante e trazem vagas e opções de cursos novos nesta seleção.

Para tirar a dúvida dos aspirantes a uma das cadeiras na Universidade, antes do fim das inscrições para a seleção, nesta quarta-feira (11/11), diretores de institutos e pró-reitor explicam como funciona cada um dos bacharelados e aponta suas vantagens.

Entre as vantagens dessas modalidades de curso, o pró-reitor de Graduação, Eduardo Magrone, explica que o aluno terá melhor visibilidade sobre as alternativas profissionais da área que escolher. Isso, porque o candidato não opta já no ato da inscrição do Vestibular ou Pism por qual curso específico fará durante toda a graduação. Essa opção vai sendo descoberta ao longo do bacharelado. “O aluno tem contato com professores, alunos mais antigos, com a vida acadêmica, palestras. Tem muito mais condições de fazer uma opção mais segura e madura da profissão que ele quer seguir. Uma vez aqui dentro, na Universidade, terá uma outra visão do que vem a ser a profissão”.

Caso o estudante já saiba qual curso específico frequentar de um dos bacharelados, poderá escolher matérias referentes à habilitação pretendida ainda no primeiro ciclo. “O aluno que tiver predisposição à Moda, por exemplo, já poderá experimentar disciplinas dessa área no primeiro semestre do bacharelado”, ilustra a diretora do Instituto de Artes e Design, Edna Rezende.

É o que aconteceu com a estudante do Bacharelado em Artes e Design, Lara Barbosa Ferreira, que entrou no curso com a ideia do que pretendia fazer: tornar-se bacharel em Design. Hoje, no segundo período, a estudante já tem buscado as disciplinas específicas da área na qual quer se formar. “No início, eu estava com dúvidas, pois gostava muito de Arquitetura. Quando comecei a cursar e pegar as matérias da área, tive mais certeza de que quero me formar em Design.”

Com os bacharelados o estudante tem uma formação geral no primeiro ciclo, que está relacionada, entre outras áreas, ao desenvolvimento da capacidade de expressão, seja por meio da escrita, interpretação, linguagens artística, filosófica ou matemática. “É um campo com referências múltiplas, em que o aluno tem contato com a cultura humanística, artística, tecnológica e científica”, diz Edna, em relação ao Bacharelado que coordena e que estreou no Vestibular passado com boa procura, conforme a diretora. Entre não-cotistas, foram 10 candidatos por vaga.

Magrone destaca que a formação geral é uma necessidade do profissional contemporâneo, que está voltado a uma base ampla de aprendizado crítico e constante. “Uma densa formação humanística e geral no início do curso universitário proporciona ao estudante condições para, ao longo da vida, fazer mais de uma especialização profissional, se for necessário, ou mesmo atualizar-se permanentemente na sua área.”

“Não se trata de fazer uma extensão do Ensino Médio. Basta ver o currículo dos cursos para ver que não há nada disso. Há um aprofundamento, são disciplinas universitárias”, ressalva.

Opções em Ciências Humanas

O Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas é um curso novo, criado neste ano. Por meio dele, o aluno pode ter acesso aos cursos de Ciências Sociais, Turismo, Ciência da Religião e Filosofia. O ingresso nos três primeiros ocorre integralmente por meio do bacharelado. No momento da inscrição, caso o candidato se interesse por Turismo, por exemplo, deve escolher, portanto, o bacharelado interdisciplinar.

Já para a Filosofia, metade das vagas é declarada, ou seja, o aluno escolhe o curso específico logo na inscrição. Nesse bacharelado, o estudante cursa cinco períodos (dois anos e meio) de formação interdisciplinar. Conforme o diretor do Instituto de Ciências Humanas (ICH), Eduardo Condé, apenas no primeiro semestre, as disciplinas são pré-estabelecidas. Em seguida, o aluno escolhe as matérias que pretende cursar dentro de cinco áreas de conhecimento: Filosofia e Ciências da Religião, Tempo e Espaço, Sociedade e Cultura, Formações Científicas e Letras e Artes.

Ao final desse período, o estudante se torna bacharel em Ciências Humanas e recebe um diploma de graduação. O aluno pode sair da faculdade com esse título ou entrar para o segundo ciclo do programa, escolhendo entre os quatro cursos disponíveis. “Para passar para o segundo ciclo, caso o número de alunos seja maior do que o de vagas, serão consideradas a média de desempenho na formação geral ao longo do curso e a média de formação específica, que será incrementada no quinto período”, explica o diretor.

Para os demais cursos do ICH – História, Geografia, Psicologia e para metade das vagas de Filosofia – as entradas continuam diretas.

Novas habilitações

O curso de Ciências Exatas traz novidades neste ano. São cinco novas habilitações em Engenharia Elétrica – Energia, Robótica e Automação Industrial, Sistemas de Potência, Sistemas Eletrônicos e Telecomunicações pelo modo de vagas não-declaradas, cuja forma de ingresso é semelhante ao de um bacharelado interdisciplinar: o aluno escolhe a habilitação após cumprir determinados períodos e requisitos.

As cinco novas habilitações de Engenharia Elétrica somam-se a outras oferecidas pelo curso: Ciência da Computação, Estatística, Física, Matemática, Química e Engenharia Computacional. Durante os seis períodos do curso de Ciências Exatas, o aluno verá quatro tipos de disciplinas: obrigatórias, complementares, eletivas e características da opção, que são as relacionadas ao curso que o aluno tenha preferência. Terminado o
primeiro ciclo, o aluno receberá o diploma de bacharel em Ciências Exatas, podendo escolher em seguida por outra formação, inclusive licenciatura.

“O que caracteriza esse projeto é flexibilidade. O aluno pode se candidatar a qualquer curso ou a vários, quantas vezes quiser, respeitando o regimento acadêmico”, destaca o diretor do Instituto de Ciências Exatas (ICE), Rubens Oliveira. O critério de seleção adotado para entrar nesse segundo ciclo do curso será o Índice de Rendimento Acadêmico (IRA) nas disciplinas obrigatórias de formação básica até o terceiro período.

Para auxiliar na decisão do aluno, no primeiro semestre o curso elabora atividades com palestras e orientações sobre cada profissão.

O Bacharelado Interdisciplinar em Artes e Design (BIAD) ganhou mais cem vagas para o concurso 2010. A conclusão dos seis períodos do BIAD é requisito para o acesso aos seguintes cursos: Design, Moda, Artes do Espetáculo – Cinema, Artes Visuais e licenciatura em Artes Visuais. Todos com duração de mais um ano e meio. O requisito para ingressar em um desses cursos de segundo ciclo será a análise de IRA (com peso de 30%) e dossiê ou portfólio de produção teórica e prática (peso 70%), que é o conjunto de produções realizado pelo aluno no decorrer do bacharelado.

Outras informações:
No site do Instituto de Artes e Design , ou pelo: (32) 2102-3350
No site do Instituto de Ciências Exatas , ou pelo: (32) 2102-3302
No site do Instituto de Ciências Humanas , ou pelos: (32) 2102-3100 / 3101 .

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário