Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

As IFES mineiras e o novo Enem

 

Veja a posição oficial adotada pelas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) mineiras em relação à proposta do Ministério da Educação (MEC) de unificar os processos seletivos de ingresso (vestibular), substituindo-os por um novo Exame Nacional, nos moldes do atual Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

As quatro opções propostas pelo MEC são: utilização do Enem como vestibular único; utilização do Enem como primeira fase do vestibular, para as que possuem duas fases; utilização da nota obtida no Enem para compor parte da nota do vestibular e utilização da nota do ENEM para ocupar as vagas ociosas não preenchidas no vestibular.

UFMG A Universidade Federal de Minas Gerais não vai adotar o novo Enem, pelo menos para o próximo vestibular, o de 2010. A resolução foi tomada porque não houve um tempo hábil, legal, para serem discutidas as mudanças e elas serem publicadas em Edital, segundo informações da Assessoria de Comunicação.

Há todo um procedimento padrão para a viabilização do vestibular. Primeiro há o planejamento, depois as reuniões para deliberação conjunta e a divulgação delas em Edital. Para o vestibular 2010, todas as decisões já estavam tomadas, inclusive já estão prontas para serem publicadas em Edital.

Então, para 2010 o vestibular continua igual ao dos anos anteriores. Para o vestibular 2011, as deliberações vão ser tomadas em 2010. Talvez em reunião no mês de abril, do ano que vem. Ali será decidido se a UFMG usará o novo Enem. Se afirmativo, de que forma usará: integral ou parcialmente.

UFV Em reuniões realizadas nos dias 7 e 8 de maio de 2009, os Colegiados Superiores da Universidade Federal de Viçosa decidiram manter a aplicação de seus Processos Seletivos para o ano de 2010, porém com uma maior participação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na composição da nota do candidato.

A UFV já utilizava os resultados do Enem em seus processos seletivos. Até o ano de 2009 esta utilização se dava na forma da composição da nota da primeira etapa (1º dia de provas) do Vestibular com um peso de 20% para o Enem, considerando exclusivamente a parte objetiva dele (não se utilizava a redação do Exame).

Com a reformulação do Enem proposta pelo MEC, os Colegiados Superiores decidiram aumentar, a partir deste ano, essa participação para 50% da nota final do vestibular (não apenas da primeira fase) considerando, inclusive, a redação do Exame. Ficou mantido o mecanismo de aproveitar o Exame caso ele seja benéfico ao candidato (sendo descartado caso a nota do candidato no vestibular da UFV seja maior).

Além desse aproveitamento, ficou também decidido que as vagas eventualmente disponíveis, após todas as chamadas do processo seletivo, serão preenchidas exclusivamente com o aproveitamento da nota obtida pelo candidato no novo Enem. A forma de operacionalização deste mecanismo será definida nas próximas semanas, após análise técnica realizada pela Diretoria de Vestibular e Exames.


UFOP Está realizando vários encontros e reuniões internas a respeito do assunto. Mas ainda não se pronunciou oficialmente a respeito.

UFSJ A Universidade já utiliza a nota do Exame em seu processo seletivo (vestibular), o que significa que os candidatos que se saíam bem na prova de conhecimentos gerais do Enem podiam utilizar 50% da mesma para composição de seu resultado final.

Os conselheiros decidiram que, já no próximo vestibular, o candidato poderá optar pela nota da prova de conhecimentos gerais do Enem para compor seu resultado final. Os Conselhos também decidiram indicar à reitoria reserva de uma cota das vagas do Vestibular da UFSJ para os alunos que fizerem as provas do Enem, cota que pode chegar a 25% do total de vagas oferecidas. Também foi aprovado que as notas do Enem também serão utilizadas para completar as vagas ociosas (não-preenchidas) em todos os cursos de graduação da UFSJ.

Segundo o reitor Helvécio Luiz Reis, o resultado da votação nos Conselhos Superiores da UFSJ demonstra claramente a prudência com que a instituição pretende adotar no momento de transição entre o seu processo seletivo e o vestibular unificado.

UNIFEI No vestibular atual da Federal de Itajubá são três provas: a primeira é um teste de conhecimentos gerais, de múltipla escolha (50 pontos); a segunda é uma redação (10 pontos); e a terceira é uma prova dissertativa, em áreas especificas (40 pontos). A Unifei já permite ao vestibulando utilizar a nota do Enem, opcionalmente, com peso de 10%.

O que o Conselho Universitário (Consuni) já decidiu é que, no próximo vestibular (para ingresso em 2010), a primeira prova será substituída pela pontuação obtida no Enem. E a terceira prova atual será mantida. Ainda não foi decidido se será utilizada a Redação do Enem como segunda prova e o peso que terão as notas do Exame na composição da nota final.

UNIFAL-MG Segundo a Assessoria de Comunicação, a Universidade Federal de Alfenas decidiu aderir ao Enem de forma completa na seleção para ingresso na universidade. Ela utilizará o Exame para o vestibular 2010, substituindo as atuais 2 etapas.

UFTM A Universidade realiza, hoje (13/05), um seminário sobre o assunto. Depois, continuará as discussões com a comunidade interna sobre a adesão ao novo sistema. Provavelmente essa discussão será realizada em junho. O vestibular de inverno já está em andamento, nos moldes do sistema tradicional. E a universidade já adota as notas do Enem para a primeira fase do vestibular.

UFU Vai substituir a primeira fase pelo novo Enem, mas no Vestibular 2010. A segunda fase não vai sofrer alterações. O Programa Alternativo de Ingresso ao Ensino Superior (PAIES) e Programa de Ação Afirmativa de Ingresso ao Ensino Superior (PAAES) não sofrem alterações.

UFVJM Adotará o Enem como Processo Seletivo Único para 50% das vagas de todos os seus cursos de graduação, já a partir de vestibular de 2009. As vagas restantes (50%) serão ocupadas através de Vestibular Seriado (Sasi) que será realizado em três etapas subsequentes para estudantes concluintes das três séries do Ensino Médio, respectivamente, sendo a última etapa o próprio Enem.

O Vestibular Seriado será aplicado, exclusivamente, na sede de vários municípios dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, nas cidades pólos, e de alguns municípios contíguos de igual importância. “Dois quintos das vagas do Processo Único e três quintos das vagas do Sasi serão destinadas a candidatos oriundos de escolas públicas, portanto, 50% de todas as vagas dos cursos de graduação da UFVJM serão destinadas a estudantes oriundos de escola pública”, afirma o reitor.

No caso da ocorrência de vagas remanescentes do Sasi, essas serão ocupadas por candidatos do Processo Único via Enem.

UFLA Vai aderir integralmente ao Sistema de Seleção Unificada, proposto pelo MEC, já no final de 2009, para o vestibular 2010. Além disso, a Ufla vai usar a nota do novo Enem na 3ª Etapa do Processo de Avaliação Seriada (PAS) no final deste ano.

UFJF Vai aderir, parcialmente, à proposta. Estabeleceu que já neste ano (vestibular 2010) o candidato poderá optar pelo novo Enem como primeira etapa do processo seletivo. Ele deverá realizar a primeira e segunda fases do Vestibular tradicional, como é feito atualmente. E depois, ao ver o resultado, optar pelo melhor: o da universidade ou o do Enem. A segunda fase continua a mesma: discursiva, segundo a área de conhecimento. O Programa de Ingresso Seletivo Misto (PISM) permanece inalterado, assim como o sistema de cotas já adotado pela instituição.

CEFET-MG vai aderir ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A instituição optou por dois dos modelos propostos para participação: utilizar o Enem como fase única para a seleção de estudantes em vagas remanescentes e combinar a nota do Enem com o vestibular tradicional.

A decisão foi anunciada oficialmente na quinta-feira da semana passada (7/05), pelo Diretor-Geral, professor Flávio Santos. Segundo ele, a mudança será adotada ainda este ano, no vestibular para o 1º semestre de 2010. “Ainda não foram definidos os detalhes sobre como combinar o Enem com nosso processo seletivo. Esse assunto ainda está em discussão, e a definição será divulgada no edital do nosso próximo vestibular, publicado no 2º semestre”, afirmou. Para o professor, a escolha pelos dois modelos de participação no novo Enem foi motivada por não representar mudanças muito extremas no processo seletivo que vem sendo praticado.

(Leia a tudo o que já foi publicado pelo Minas Vestibular sobre o novo Enem)

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário