dcsimg

Vestibular em

Tendências jurídicas para o novo advogado

Carreira exige atualização constante e marketing
 

Imagine uma cidade de 600 mil habitantes povoada por advogados. Pois é exatamente esse o número de advogados registrados na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Uma amostra do cenário em que o mercado jurídico se encontra, com muitos profissionais no mercado sujeitos às inúmeras mudanças que incidem diariamente na área jurídica, por causa da legislação, doutrina, jurisprudência, ou conseqüência, mesmo, de um mercado globalizado.
 
Novas leis são criadas e alteradas a todo o momento, como a Lei Maria da Penha, a Lei Seca ou as Leis de Biossegurança. Novas áreas de atuação são descobertas, como o direito ambiental e o direito de tecnologia da informação. Por isso, quem já atua na profissão precisa de reciclagem e aperfeiçoamento sempre. Já quem ainda pensa em ingressar nessa carreira tão nobre, precisa ter em mente que comodismo não tem espaço na advocacia.
 
"O advogado que conseguir se moldar às mudanças no mercado, com certeza terá espaço para trabalhar, pois a profissão de advogado é muita ampla e promissora", comenta o presidente da OAB Jovem da 13ª Subseção, Hecy Braga de Oliveira.
 
Escolha certa -  Se o número de profissionais cresce, a oferta de cursos jurídicos segue o mesmo caminho. Cuidados em selecionar uma boa universidade são garantia de boa formação e a aprovação no tão temido exame da Ordem. "Atualmente, a média de aprovação nos exames de aprovação da Ordem é de 50 aprovados para cada 400 candidatos. Mas, ainda assim, o mercado é promissor para estes profissionais", conta o professor de Direito da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Hélio Tomaz Souza Filho.
 
Networking -  No início, os laços de confiança que baseavam a relação advogado-cliente não eram um fator competitivo, como hoje. Isso, porque não existiam muitos profissionais e eles já eram conhecidos por seus potenciais clientes.
 
Hoje, com a grande quantidade de profissionais, essa situação se fragilizou e a importância da rede de contatos (networking), o famoso boca-a-boca, tornou-se fundamental para o crescimento na profissão. Por isso, é muito importante que o advogado saiba explorar essa rede, por meio da criação e da manutenção de laços de confiança com as pessoas.
 
Marketing -  Promover o marketing parece ser algo intrínseco a todos os negócios. O marketing jurídico não fica de fora desse filão e vem sendo discutido há pelo menos dez anos. E vai bem além do desenvolvimento de um bom web site, sem desrespeitar as limitações impostas pelo código de ética.
 
Algumas questões passaram a ter grande valor dentro dos escritórios de advocacia e estão diretamente ligadas ao marketing jurídico, como: Comportamento humano e gestão de pessoas, Administração contemporânea, Estratégia empresarial, Economia, Contabilidade, Análise Econômico-Financeira, Matemática Financeira e Finanças Corporativas, Gestão de Marketing, Gestão de Informação e Tecnologia, Gestão de serviços, Gestão de Operações e Logística, Gestão de Estratégias e Competitividade, Gestão de Qualidade. Então, conhecer a necessidade do marketing é o primeiro passo para o sucesso.
 
Essencial -  Alguns pontos são de extrema importância, não apenas na carreira jurídica, mas para o sucesso em qualquer outra profissão. São eles:
 
- Formação: a carreira profissional depende de cada um. É uma responsabilidade do advogado investir na sua formação, e não esperar que isso lhe seja solicitado. Procure-a você mesmo.
 
- Equipe: saiba trabalhar em equipe, não em grupos. Um grupo pode definir-se como um conjunto de individualidades, profissionais com vontades dispersas; uma equipe, define-se como um conjunto de pessoas com objetivos comuns e bem comunicados.
 
- Liderança: Para dirigir equipes, o primeiro passo é o conhecimento de si mesmo. E, a partir desse conhecimento, ajudar os demais a conhecerem-se e a colaborarem. O líder deve incentivar a comunicação e a cooperação.
 
- Motivação: a motivação é uma decisão individual; é um processo de dentro para fora da pessoa. Por isso, em realidade não se pode motivar alguém. Um profissional que se apaixone pela sua profissão se motiva.

Diante da nova visão de mercado, o corpo jurídico deve também observar as normas constantes no Estatuto da Ordem dos Advogados, no Código e Ética e Disciplina, e, inclusive, nos Provimentos da Ordem dos Advogados do Brasil. "Apesar das dificuldades, o mercado do direito ainda é promissor, tem espaço para todos. Porém, o advogado atual tem que se reinventar. Além do conhecimento jurídico, é preciso inovar em tecnologia, apresentação, entre outros aspectos", explica Hecy Braga de Oliveira.

 


Por: Flávia Reis e Rosiane Magalhães (Lead Comunicação)

Deixe seu comentário:

Versão para impressão     Enviar para um amigo