dcsimg

Vestibular em

Por um futuro melhor

 

                                Estudantes desafiam estradas para chegar à faculdade

Segunda-feira, 6h45. O dia começa cedo para a Aline Chagas Pereira, moradora do bairro Solar dos Lagos, em São Lourenço. A mãe, dona-de-casa e o pai frentista, já estão à mesa tomando o café da manhã. Filha única do casal, Aline logo se arruma e, com passos longos e rápidos, segue até o Centro, onde trabalha em uma loja de calçados.

A disposição é a mesma de sempre, todos os dia. Mas, no final do expediente, Aline segue um caminho diferente das colegas de trabalho. Olhar de ansiedade e preocupação, tomam conta da vendedora. Era dia de prova. Logo chega o ônibus e, sorrindo, embarca rumo a um futuro melhor.

Saindo do trabalho direto para a faculdade, Aline Chagas carrega na bolsa o uniforme e nos cadernos a lição. Já são 18h05. O ônibus, de uma empresa de turismo, segue pela BR-267. Nele, vão 35 pessoas. Entre jovens, uma senhora de 57 anos. De fala mansa, olhar curioso, ela logo conta: "Sou viúva, dois filhos e uma neta. Depois que meu marido morreu, resolvi voltar a estudar. Agora estou cursando Direito", exclama empolgada.

O motorista encosta o ônibus na estrada. Correndo, vem um rapaz de 23 anos. Agora, somos 36. A noite logo chega, o frio corta as janelas do veículo. Alguns já estão dormindo. Aline, hoje, está inquieta. Com a luz da cabine acessa, concentra-se em um livro para a prova.

Passam os cafezais, chegamos à Fernão Dias. Inúmeros ônibus, caminhões e carros nos cortam no caminho. Chegamos. Às 19h10 estamos em Varginha. Aline diz um breve "tchau" aos colegas que são de outra faculdade. Apressa-se. Estamos na Faculdade de Direito de Varginha (Fadiva).

Aline quer ser Promotora de Justiça. As aulas acabam. Uma multidão sai pelos portões e adentram os ônibus que fazem o transporte universitário. O caminho até a casa é longo, mas a esperança de um futuro melhor os leva, todos os dias, com a certeza de um desejo realizado.

Transporte universitário. Segundo estatísticas, 6.150 estudantes utilizam o transporte escolar nas rodovias de Minas Gerais. Na noite de quarta-feira (11/03), por volta das 23h, na altura do km 453 da BR-381, em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte, um grave acidente envolvendo uma van de transporte universitário e um caminhão provocou a morte de seis pessoas e deixou outras 12 feridas. A van transportava estudantes da cidade de Caeté. Somente na cidade, 310 universitários saem diariamente para estudar na capital.

Enviado pelo internauta: Sebastião Filho (Cidade: Lavras)

 

Deixe seu comentário:

Versão para impressão     Enviar para um amigo