dcsimg

Vestibular em

Novo reitor UFMG

“A Universidade é um processo contínuo”, diz Clélio Campolina, novo reitor da UFMG

Às vésperas de assumir a Reitoria da UFMG para o período 2010-2014, o novo reitor Clélio Campolina Diniz reforça, nesta entrevista, os principais aspectos de sua proposta de gestão, como a necessidade de negociar soluções com o governo federal para os hospitais universitários e para a carreira dos servidores. Tudo isso passa, segundo ele, pela questão da autonomia, com a qual todos os seus antecessores se defrontaram. “Principalmente a autonomia administrativa e financeira”, salienta. Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

Expansão com qualidade

A Universidade não pode ser reinventada a partir da posse de um novo reitor. Nossa primeira missão é dar continuidade ao colossal trabalho que vem sendo feito na UFMG. Há, em especial, alguns desafios novos, como a gestão do Programa de Apoio aos Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), pois, pelo que ele representa, combinar crescimento com qualidade será uma preocupação central. Também vamos implantar um sistema de planejamento da gestão dos campi universitários – Saúde, Pampulha e Montes Claros –, priorizando, nesse primeiro momento, o campus Pampulha, que está muito adensado e às voltas com problemas de trânsito, transporte e estacionamento.

A interface da UFMG com o governo federal

Vamos desenvolver um conjunto de ações para preparar as nossas reivindicações junto ao governo federal. E elas estão centradas na questão da autonomia, não apenas didática e acadêmica, mas principalmente administrativa e financeira. A gestão da Universidade está cada vez mais difícil com as limitações formais, legais e burocráticas. Precisamos discutir internamente com a comunidade a busca de orientações para a construção de carreiras para professores e técnicos, em especial o segmento técnico e administrativo que está hoje segmentado em cinco faixas e não tem possibilidade de transição de uma faixa para outra sem novo concurso público. Entendemos que os servidores deveriam estar em uma carreira única que permitisse sua ascensão funcional por meio de sua qualificação e desempenho. E vamos aproveitar a oportunidade do decreto recentemente assinado pelo presidente da República que permitirá a montagem de um plano de expansão e modernização dos hospitais universitários. Com isso esperamos encontrar uma saída definitiva para o crônico problema de recursos financeiros do Hospital das Clínicas.

São essas, dentre outras, as primeiras medidas que esperamos implementar de maneira cuidadosa, cautelosa e com a rapidez que o tempo exige.

Internacionalização

O mundo está em franca mudança e o Brasil assumiu mais responsabilidades no cenário internacional. Precisamos estreitar laços com América Latina, África e Ásia, sem perder a vinculação com a nossa matriz do conhecimento, que são os Estados Unidos e a Europa.

Equipe

Adotamos como critérios a competência e o comprometimento institucional dos seus membros e o nosso esforço vai na direção de conferir representatividade por áreas de conhecimento. A Universidade é plural e dessa pluralidade nasce o esforço coletivo e conjunto.

Construção de um projeto

Nosso programa de campanha foi orientado por cinco referências, ligadas às relações da universidade com a cultura, com a sustentabilidade, com a ciência, técnica e inovação, com a diversidade e com a cidade. A partir delas, estabelecemos um conjunto de objetivos sob as perspectivas acadêmica e de gestão. Do ponto de vista acadêmico, é preciso combinar a excelência com o crescimento em todas as áreas de ensino, pesquisa e extensão; um segundo foco é a assistência estudantil: conciliar crescimento com recursos para a inclusão social e a permanência. E o terceiro foco é a relação da Universidade com a sociedade; precisamos cada vez mais nos integrar a ela, inclusive em relação às nossas atividades culturais. Outro aspecto, já mencionado anteriormente, é a internacionalização crescente da Universidade. A partir daí, precisamos assegurar os meios, isto é, buscar autonomia, buscar a construção de carreiras para o quadro de servidores, uma adequação das fundações de apoio para cumprir essas atividades, uma melhor gestão das cidades universitárias e a preparação de projeto para a reorganização do Hospital das Clínicas.

Trata-se de um trabalho coletivo, conjunto, espero a cooperação de todos, não há distinção política e ideológica. Serei o reitor de toda a Universidade; espero tratar todos com o mesmo respeito e distinção e favorecer a construção de um ambiente de solidariedade, cooperação e companheirismo.

Por: Ana Rita Araújo – Boletim da UFMG

Deixe seu comentário:

Versão para impressão     Enviar para um amigo