dcsimg

Vestibular em

Cuidados no verão

Dermatologista do HU da UFJF esclarece mitos e dá dicas sobre cuidados no verão


A temporada de verão ainda está em alta e, com ela, os tradicionais hábitos para se bronzear, clarear o cabelo e manter a pele sempre bonita. Mas será que realmente funcionam? O residente de dermatologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU/UFJF), Dário Junior de Freitas Rosa, esclarece mitos e dá dicas para os cuidados que se deve ter nessa estação, sobretudo, neste ano em que a meteorologia registra uma elevação de dois graus acima da temperatura média, superando dados históricos em várias localidades do país.

Não há quem não reclame do intenso calor e com razão. Nesse sentido, os cuidados com o organismo são imprescindíveis, sobretudo com a pele, que fica exposta diretamente aos raios solares. No período de carnaval, no acesso à praia, piscina e, até mesmo, no cotidiano, numa caminhada para o trabalho ou para a escola, a atenção deve ser redobrada. Segundo o médico os protetores solares acima de 30 protegem mais, ao contrário do que muitos apregoam. “Quanto maior for o fator, maior a proteção. O mito de não surtirem tanto o efeito desejado vem de pesquisas em laboratórios em condições ideais, o que não é o caso do dia a dia.” Para se ter o efeito de proteção desejado, no entanto, ele reforça que o filtro solar deve ser reaplicado a cada duas horas e após contato com água ou suor intenso.

“Muitas pessoas aplicam o protetor e logo em seguida passam o bronzeador. Não adianta nada. A pele estará protegida, mas não proporcionará o efeito esperado”. Segundo ele, esse é um bom resultado, uma vez que o fator mínimo recomendado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia para filtro solar, quando estiver em exposição ao sol, é o 15. “Ou seja, não é uma boa idéia hoje em dia usar qualquer tipo de bronzeador.”

Dando continuidade à quebra de mitos, o dermatologista afirma que comer cenoura não ajuda no bronzeado. “O que acontece é que a vitamina A, presente na cenoura, não é facilmente eliminada do organismo. Quando presente no corpo em grande quantidade, ela proporciona a pele um tom mais amarelado, que não está ligado à exposição ao sol.”

Sobre o famoso chá de camomila para clarear o cabelo, ele ressalta que sua eficácia ainda não foi cientificamente comprovada, mas que não existe contraindicação. Quando o assunto é sobre hidratantes e pós-sol depois do banho, Dário afirma ser lenda o efeito “bronzeado duradouro” causado pelo seu uso. “No entanto, esses produtos evitam o descascamento e o surgimento de manchas. O que se deve fazer é hidratar a pele ressecada pelo sol, ato que melhora a aparência de peles danificadas”

Para o cuidado com os bebês, recomenda o uso de filtros próprios para a faixa etária e roupas leves e bonés. “Só é permitido usar o produto em crianças acima de 6 meses de idade, e mesmo assim, nunca deixá-las diretamente no sol.” Deve-se tomar cuidado, também, com o guarda-sol: “Existem alguns modelos de náilon fino que vedam menos de 10% dos raios solares, dando a impressão falsa de proteção. Mesmo os modelos grossos e de algodão filtram no máximo 50%, por isso é importante o uso de outros
métodos protetores embaixo deles.”

O médico chama a atenção para pessoas de pele negra: “Mesmo sendo mais resistentes à exposição ao sol, ninguém está imune ao aparecimento de câncer de pele e, por isso, devem sempre tomar os mesmos cuidados nessa época do ano”. Ele ressalta, ainda, a importância de proteger os lábios, as mãos e o redor dos olhos, áreas com altos índices de câncer e que passam despercebidos na hora de se proteger. “Na região dos olhos, a proteção inclui óculos de sol, que vai preservar a pele e a retina de queimaduras.”

Dormir de cabelo molhado é um hábito que deve se evitar. O mesmo vale para prendê-los. “Acaba por favorecer a construção de um ambiente propício ao aparecimento de doenças capilares, como dermatite e caspa.” Biquíni molhado também deve ser cortado da lista. “É importante não permanecer com o biquíni úmido por período prolongado e sempre lavá-lo após o uso. A falta de cuidados com essas peças pode desencadear algumas doenças desagradáveis como a candidíase.”

O médico conclui lembrando a importância da reaplicação do filtro solar, várias vezes ao dia, enfatizando o fato de que ele não é acumulativo. “Passar duas vezes um filtro de fator 15 não é a mesma coisa que passar um de 30.” E chama atenção para a hidratação: “Beber muita água garante a hidratação do corpo e proporciona uma pele mais saudável.”

(Por: Assessoria de Imprensa da UFJF)

Deixe seu comentário:

Versão para impressão     Enviar para um amigo