Pular para o conteúdo Pular para a barra lateral do Vá para o rodapé

Aluna do CEFET-MG

A aluna do 2º ano do curso técnico em Equipamentos Biomédicos, Fernanda Esthefane Garrides Oliveira, 16 anos, foi um dos quatro estudantes brasileiros premiados no concurso “Caminhos da Liberdade 2009”, promovido pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação.

O concurso teve como objetivo estimular o resgate da memória histórico-cultural do processo de independência do Brasil, e como prêmio quatro alunos da rede federal de educação profissional viajarão ao Paraguai e à Espanha. O programa foi concebido no marco da comemoração dos bicentenários de independência (2010 a 2022) dos países ibero-americanos. Também organizam o concurso em seus países Argentina, Bolívia, Chile, Espanha, Paraguai, Portugal e Uruguai.

Fernanda Garrides conta que ficou sabendo do concurso no final de agosto e que teve poucos dias para elaborar o texto de oito páginas. Passou as horas livres na biblioteca, leu algumas bibliografias e escreveu “Da liberdade teórica à liberdade crítica”, falando de liberdade individual e a de uma nação. Segundo a estudante, a independência do Brasil deveria ser mais valorizada, mesmo com alguns percalços históricos . “É muito apagado o sentimento de ser brasileiro, fui buscar o que é isso, o que é ser um país livre” afirmou.

O gosto por leitura e pela história da humanidade foi fundamental para a participação de Fernanda Garrides. “A história é o que somos hoje, é muito legal ler e sentir isso. Sempre gostei, mas quando cheguei ao Cefet-MG o professor João Paulo deixou-me ainda mais apaixonada pelo tema”, disse. A aluna pesquisou o assunto em algumas fontes, sendo a principal o livro didático utilizado na instituição, mas entende que a premiação foi resultado, principalmente, da análise crítica realizada na redação.

O Coordenador da Área de Ciências Humanas e Sociais do Centro, professor James Willian Goodwin Júnior, destacou o esforço e a iniciativa de Fernanda Garrides em romper os limites “que supostamente existem entre uma formação técnica e uma qualificação intelectual mais ampla”. O docente também ressaltou a importância da premiação para as atividades realizadas pelos profissionais do setor.

“Destaco o trabalho feito em sala de aula por seu professor de História e pelo conjunto de professores. Temos perseguido o objetivo de formar pessoas capazes profissionalmente, críticas na analise social, corajosas e curiosas no campo intelectual”, disse o James Willian.

Conhecer novas culturas

Os alunos concorrentes enviaram trabalhos sobre os temas “a influência do contexto político-econômico no momento histórico da independência”, e “identidades culturais nas raízes dos processos de independência nas Américas hispânicas e portuguesas”.

Além de Fernanda Garrides, foram selecionados estudantes de três institutos federais. Eles se reunirão a grupos de outros países e farão uma viagem de estudos ao Paraguai, onde conhecerão a capital Assunção e percorrerão caminhos franciscanos e jesuítas. Depois vão à Espanha para conhecer cidades como Madrid, Sevilha e Cadiz. Embarcam no dia 18 de outubro e regressam a 1º de novembro.

A aluna do Cefet-MG espera vivenciar novas sensações, fazer amizades e adquirir conhecimento na sua primeira viagem internacional. “Estou ansiosa para conhecer pessoas de outros países, outras culturas e comidas e também ter mais informações sobre a história dos jovens desses países e do processo revolucionário deles”, observou.

Mostrar ComentáriosFechar Comentários

Deixe um comentário