dcsimg
Contato Anuncie


Busca: Buscar

Newsletter

Assine e receba informações atualizadas no seu e-mail:

Cadastrar

Vestibular em

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Página inicial : artigos

Consórcio mineiro reunido

Os reitores presentes discutiram sobre o que pretendem propor aos conselhos superiores de cada instituição


Os reitores das universidades federais mineiras que implantarão o primeiro consórcio de universidades do País se reuniram, na semana passada (18/08), na sede da Universidade Federal de Lavras (UFLA), uma das federais consorciadas. Foi a primeira reunião dos reitores após a assinatura do protocolo de intenção, em evento realizado na cidade de Divinópolis-MG há dez dias.

Na reunião de Lavras os reitores iniciaram os entendimentos sobre o que pretendem propor aos conselhos superiores para maior integração das sete universidades. O protocolo de intenção prevê que a adesão ao consórcio é voluntária e que a filiação de cada universidade está condicionada à apreciação e aprovação de seu conselho superior. Por esta razão os reitores iniciaram o preparo e a execução de um plano de ação, também previsto no protocolo de intenção, com vistas à formalização do consórcio até 15 de outubro de 2010.

Segundo o reitor da UFLA, professor Antônio Nazareno Guimarães Mendes, o Conselho de Reitores do consórcio pretende realizar reuniões itinerantes nas sete universidades a cada semana até a formatação final do documento que será submetido aos conselhos superiores. Uma das estratégias de ação já foi adotada com a criação de grupos de trabalho, distribuídos em sete coordenações, por tema, assim definidas:

- Coordenação Geral - UFV (reitor Luiz Cláudio Costa)
- Coordenação de Assuntos Estudantis - UFOP (reitor João Luiz Martins)
- Coordenação de Extensão e Cultura - UFSJ (reitor Helvécio Luiz Reis)
- Coordenação de Graduação - UNIFAL (reitor Paulo Márcio de Faria e Silva)
- Coordenação de Pesquisa e Inovação - UNIFEI (reitor Renato de Aquino Faria Nunes)
- Coordenação de Planejamento e Gestão - UFLA (reitor Antônio Nazareno Guimarães Mendes)
- Coordenação de Pós-Graduação - UFJF (reitor Henrique Duque Chaves Filho)

Cada coordenação organizará grupos de trabalho que contarão com a participação e com o assessoramento de pró-reitores, diretores e coordenadores das respectivas áreas nas sete universidades. Essas coordenações já iniciaram os trabalhos e deverão se reunir esta semana (24/08/10) , na sede da UFSJ em São João Del Rei.

Na oportunidade, os coordenadores pretendem discutir com seus grupos de trabalho o diagnóstico de cada tema, com ênfase às constatações do que há em comum nestas universidades e às ações consideradas estratégicas para o consórcio, apontando para as propostas que deverão constar no acordo de cooperação que será submetido aos conselhos superiores e para o Plano de Desenvolvimento Institucional unificado, que norteará o consórcio após sua constituição.

A maior preocupação dos reitores, de acordo o reitor da UFLA, professor Nazareno, é “atender anseios de suas comunidades universitárias, representadas pelos estudantes de graduação e de pós-graduação, professores e técnicos administrativos e também das comunidades da região, municípios do sul e do sudeste de Minas Gerais, pois o consórcio terá como um de seus objetivos a maior participação das sete universidades no processo de desenvolvimento social, econômico e territorial. Para os estudantes, professores e técnicos, o que se pretende é que, embora tenham vínculo direto com uma universidade de pequeno a médio porte, possam também gozar dos benefícios de uma grande universidade, que será o resultado da maior integração oportunizada pelo consórcio”.

Durante a reunião realizada em Lavras alguns reitores e vice-reitores deram depoimentos:

Reitor Luiz Cláudio Costa (UFV): “Reúnem-se sete universidades de qualidade, numa área que tem grande proximidade. Além disso, as instituições são academicamente complementares. Nós temos muitas coisas a fazer, para prestarmos melhores serviços à sociedade, sem ferir a autonomia, sem alterar em nada o que isoladamente fazemos. Nós vamos nos unir para produzirmos mais, para pensarmos a sociedade, para pensarmos o Brasil, para pensarmos o mundo. Será muito bom para os estudantes, para os professores e para os servidores”.

Reitor Helvécio Luiz Reis (UFSJ): “Quero manifestar que estou entusiasmadíssimo com a proposta. Eu acho que isto não só valoriza as sete universidades, como vai nos dar muita força em todos os sentidos. Minha expectativa é a mais positiva possível”.

Reitor Paulo Márcio de Faria e Silva (UNIFAL): “Acreditamos que será uma maneira bastante interessante e uma nova forma de gestão universitária compartilhada, sem a perda da autonomia de cada uma das instituições envolvidas”.

Vice-reitor José Luiz Rezende Pereira (UFJF): “Somos favoráveis e a comunidades acadêmicas de nossas universidades têm aceitado estas iniciativas. A gente acredita que vai ser um grande sucesso”.

Vice-reitor Paulo Shigueme Ide (UNIFEI): “Só vejo pontos positivos nisto, mas claro, com a autonomia universitária sempre existindo e cada conselho universitário fazendo a aprovação da entrada ou não neste consórcio”.

Reitor Renato de Aquino Faria Nunes (UNIFEI): “Esta é talvez a única região do País onde este consórcio poderia ser feito, pela quantidade de instituições de excelência que nós temos aqui. Em segundo lugar, vivemos numa época em que o conhecimento propicia desenvolvimento e esta região do Estado de Minas Gerais tem enormes possibilidades de ter toda competência instalada nestas sete universidades, que são reconhecidamente universidades de excelência e ter esta contribuição para o desenvolvimento econômico de maneira muito ativa. Para mim a grande vantagem no médio e no longo prazo é a colocação desta capacidade a serviço do desenvolvimento humano, a serviço do desenvolvimento da ciência, a serviço da formação, mas principalmente a serviço do desenvolvimento econômico que o Pais tanto precisa, este desenvolvimento econômico da nova era”.

Reitor Antônio Nazareno Guimarães Mendes (UFLA): “São todas instituições mantidas pelo Ministério de Educação e que de certa forma mantêm uma série de parcerias estabelecidas, mas muitas vezes na informalidade. O que nós pretendemos com o termo de constituição do consórcio é assumir compromissos para que haja maior integração no ensino, na pesquisa, na extensão, na transferência de tecnologias e com isto que nossas comunidades possam otimizar recursos e gerar um resultado ainda mais produtivo para a sociedade que nos financia”.


(Por: Ascom UFLA – Foto: Helder Tobias)

Deixe seu comentário:

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Busca de cursos



Busca de faculdades



Quem somos

Contato

Anuncie

Faculdades

Cursos

Agenda

Notícias

Artigos

Dicas

Gabaritos

Resultados

Provas

-

Notícias e Dicas - Vestibular

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas do Vestibular e dicas de estudo: