dcsimg
Contato Anuncie


Busca: Buscar

Newsletter

Assine e receba informações atualizadas no seu e-mail:

Cadastrar

Vestibular em

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Página inicial : artigos

A Vocação e o Hábito

   

Hábito é o agir repetido que transforma você, progressivamente, naquilo que você é. Aqui e agora.

Há características que nascem com você; outras são resultados de solicitações de todo tipo que o levam a reagir desta ou daquela maneira. No meio desses dois pólos, existe a sua vontade, que é sua capacidade para agir e ir "forçando" a situação, de modo que sua vida progressivamente vá ficando com a sua cara e, portanto, do seu gosto.

Quanto mais você tenha sucesso em fazer com que sua vida fique com a sua cara, mais sentido ela vai tendo. E o dia-a-dia deixa de ser pura monotonia e chateação. Assim, quanto mais passivo você se torne perante sua vida e suas escolhas, mais na retranca ela vai ficando. Condição que é um verdadeiro passaporte para engrossar as fileiras daqueles cujas vidas passam por eles e eles nem notam, já que estão profundamente distraídos reclamando de alguma coisa.

O diferencial na arte de fazer sua vida parecer com a sua cara, é se você age ou reage. Reagir é jogar na defesa, é se ajustar ao time adversário para evitar tomar gol. Agir é ser o atacante. É ser capaz de forçar o adversário a se ajustar a suas manobras. Adquirindo apenas hábitos reativos, você se torna igualzinho àqueles funcionários de lojas e empresas que o atendem mal e de má vontade, e que tornam os momentos de sua vida, em que a eles recorre, uma contínua amolação. Ao contrário, caso adquira o hábito de agir, não apenas a maioria dos momentos de sua vida se tornará agradável, como também as pessoas gostarão de sua companhia, algumas das quais fazendo muito gosto que você trabalhe para elas ou com elas, para tanto dispondo-se a remunerá-lo por isso.

A capacidade para reagir, no homem, é maior do que a de qualquer outro animal. Os animais, como já nascem praticamente prontos para a vida, são habilidosíssimos para reagir ao que lhes ameace. O ser humano, ao contrário, não nasce pronto - comparando, seria preciso que a gestação humana durasse uns 17 meses, ao invés de 9, para que atingisse o preparo muscular e fisiológico que os animais em geral têm ao nascer. Por isso, por nascer tão despreparado, o ser humano precisa aprender muita coisa, precisa adquirir muitos hábitos. E tanto aprende, que progressivamente vai se tornando capaz de aprender a desempenhar tarefas relacionadas a assuntos de que não gosta e dificilmente conseguiria gostar. Alguns, por causa desta capacidade que o ser humano tem para habituar-se com qualquer tipo de vida, acabam investindo suas vidas em coisas que os vão afastando cada vez mais do que tem a ver com suas vocações.

Quando o estudante enfia na cabeça que ele deve escolher um curso que dá dinheiro, ao invés de um que o faça ingressar numa carreira na qual conseguiria ser o rei da praia, o que ele está decidindo é viver reagindo, viver na retranca.

Porque o que dá dinheiro hoje, não necessariamente dará dinheiro daqui a cinco anos, justamente no momento em que ele receber seu diploma. Quem ganha dinheiro é o profissional e não a profissão, pois há profissionais ricos e pobres em cada uma delas.

Devido a esta capacidade do homem para aprender a reagir a praticamente tudo, muitos chegam a acreditar e afirmar que "vocação não existe". Em parte estão certos, em parte não. Erram porque confundem vocação com coisas que ela não é; confundem agir com reagir. A vocação é a máxima capacidade de agir da pessoa. Portanto, se os hábitos que você for adquirindo pela vida tiver relação com sua vocação, por certo você conseguirá se tornar um bom profissional e, em resultado disso, suas chances de ganhar dinheiro a partir dela serão as maiores que conseguirá ter.

É claro que não depende só de você realizar-se na vida. Há sua família, a escola, as empresas, o governo, etc. Mas a "parte do leão" é sua. É você que tem de ir fazendo escolhas.

Para bem escolher, adquira o hábito de identificar os momentos em que você está fazendo uma coisa que sabe estar sendo bem-feita e gostaria de permanecer fazendo-a indefinidamente. Isto o ajudará a identificar, com muita precisão, o que tem e o que não tem a ver com você, com sua vocação. Assim fazendo, quando chegar no momento em que tenha de decidir por alguma carreira, precisará de muito pouca ajuda (se precisar) para optar, de maneira sensata, pela melhor delas no seu caso.

Tudo é uma questão do hábito: você escolhe transformar em sua segunda natureza agir ou reagir. Manter-se fiel à sua vocação pessoal e própria ou simplesmente ser como o animal homem, que se adapta a tudo.

__________________________________________________________________________
Por: Joel Nunes dos Santos (Psicólogo e Orientador Profissional - (11) 3746-7285 )

Deixe seu comentário:

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Busca de cursos



Busca de faculdades



Quem somos

Contato

Anuncie

Faculdades

Cursos

Agenda

Notícias

Artigos

Dicas

Gabaritos

Resultados

Provas

-

Notícias e Dicas - Vestibular

Cadastre-se na nossa newsletter e receba as últimas do Vestibular e dicas de estudo: